Os primeiros desodorantes

Você está aqui

Home / Curiosidades / Os primeiros desodorantes

Os desodorantes contemporâneos prometem atender a necessidade de vários tipos de consumidor
Os desodorantes contemporâneos prometem atender a necessidade de vários tipos de consumidor

Curtidas

0

Compartilhe:
Por Rainer Gonçalves

Por Rainer Sousa

Ao estudarmos o processo de colonização das Américas, bem sabemos que os europeus acreditavam que os povos nativos estavam a léguas de distância da civilização do Velho Mundo. De fato, essa visão etnocêntrica acoberta vários saberes, costumes e outros hábitos que podem perfeitamente ir contra essa perspectiva. Entre tantos pontos, podemos salientar que os cuidados com higiene já mostrava uma discrepância no mínimo peculiar.

Quando alcançaram as terras brasileiras, os portugueses carregavam a terrível fedentina de quem passou várias semanas ao mar, mas nem por isso passou perto d’água. Para os nossos nativos essa seria uma situação estranha, haja vista que os tupis costumavam lavar o corpo mais de dez vezes em um mesmo dia. Da mesma forma, os indianos (que também estabeleceram contato com os portugueses) se valiam de pastas, tacos, sabões e pós para aplacar os cheiros do próprio corpo.

Na Antiguidade, os egípcios resolviam o mesmo problema com banhos frequentes que eram acompanhados pela ação adstringente de óleos, gorduras e sabões aromatizados. Por outro lado, os romanos tentavam tapear o mau cheiro com pequenas almofadas que eram colocadas junto às axilas. Já na Europa Moderna, os perfumes tentavam, mas nem sempre conseguiam, resolver eficazmente o desenvolvimento da sudorese.

Entre tantos cheiros e banhos, foi somente no século XIX que tivemos o aparecimento do primeiro desodorante da História. No ano de 1888, o desodorante norte-americano “Mum” (mamãe, em português) misturava um tipo de cera de óxido de zinco que tinha uma limitada ação antimicróbica. Alguns anos mais tarde, em 1903, o “EverDry” (“sempre seco”) foi o primeiro desodorante de solução aquosa que conseguia inibir a transpiração do corpo.

Já nessa fórmula, tínhamos a presença dos sais de alumínio que até hoje configuram a maioria dos desodorantes. Nos dias atuais, temos alguns tipos e marcas de desodorante que prometem atender o perfil específico de seus consumidores. Paralelamente, outros tipos de desodorante prometem amenizar as agressões que a utilização do próprio desodorante possa provocar.