O tesouro nazi

Você está aqui

Home / Idade Contemporânea / O tesouro nazi

As tropas de Rommel esconderam um enorme tesouro expropriado dos judeus
As tropas de Rommel esconderam um enorme tesouro expropriado dos judeus

Curtidas

0

Compartilhe:

Por Rainer Sousa

 

Explorando os eventos ligados à Alemanha Nazista, observamos que o regime instaurado por Adolf Hitler teve a capacidade de empreender uma série de ações ilegais. Na medida em que alcançava o poder político, estabelecia políticas de repressão que aniquilava progressivamente toda espécie de oposição política no país. Inicialmente, os sindicatos, partidos políticos e as próprias instituições governamentais foram alvo de várias ações autoritárias.

Quando alcançamos a Segunda Guerra Mundial, a opulência do Estado Nazista ampliou seu raio de alcance propagando a perseguição antissemita em diferentes lugares do mundo. Do ponto de vista prático, essa política de perseguição não viria somente a cumprir as teorias que constituíam o pensamento nazista; em muitos casos, as perseguições aos judeus e a exploração de sua força de trabalho nos campos de concentração se tornavam uma importante fonte de renda.

Ainda hoje, a exploração da população judaica durante o nazismo protagoniza algumas histórias bastante curiosas. Durante a guerra, vários relatos fazem menção ao grande espólio que os exércitos comandados pelo general Erwin Rommel impuseram aos judeus que viviam na Tunísia, região norte da África. Expressivas somas em dinheiro, joias, metais preciosos e obras de arte teriam sido arbitrariamente confiscadas pelos soldados alemães.

Por meio desse fato, alguns pesquisadores suspeitam que uma parte desse tesouro avaliada em R$ 80 milhões de reais teria ficado sob o poder de Rommel. Para alguns, a medida tomada pelo general refletia as sérias desconfianças que o militar possuía em relação ao governo conduzido por Hitler. Dessa forma, ele teria realizado o desvio de tais recursos para antever qualquer problema ligado a uma possível derrota alemã durante a Segunda Guerra.

Nesse período, o avanço das forças inimigas teria obrigado os alemães a providenciarem um esconderijo para aquela fortuna. Durante muito tempo, acreditou-se que os tais objetos e bens teriam sido secretamente depositados na ilha mediterrânea de Córsega, estrategicamente localizada entre a África e a Alemanha. Contudo, nenhuma pista chegou a oferecer informações mais claras sobre a localização exata deste tesouro nazista.

Recentemente, uma antiga foto de um oficial nazista renovou as esperanças daqueles que buscam esses valiosos artefatos. Em seu verso, foi encontrado um código numérico que supostamente conteria as verdadeiras coordenadas do tesouro perdido com o fim da guerra. Após mais de seis décadas, vive-se a expectativa de encontrar uma gama de objetos que podem desnudar novas informações sobre a Segunda Guerra Mundial.