Economia Suméria – História da economia suméria

Você está aqui

Home / Suméria / Economia Suméria – História da economia suméria

O uso da escrita cuneiforme foi imprescindível para a organização econômica dos povos sumerianos
O uso da escrita cuneiforme foi imprescindível para a organização econômica dos povos sumerianos

Curtidas

0

Comentários

0

Compartilhe:

Por Me. Cláudio Fernandes

A civilização suméria, assim como os assírios, os caldeus e os babilônicos, desenvolveu-se na região da Mesopotâmia, onde hoje se localiza o atual Iraque. Assim como os povos do Egito antigo, as civilizações da Mesopotâmia eram hidráulicas, isto é, sua estrutura econômica dependia estruturalmente dos rios. Tanto foi assim que o termo Mesopotâmia significa “terra entre rios”. Os rios que entrecortam tal região são o Tigre e o Eufrates.

Os sumérios foram os primeiros povos a desenvolver cidades e a construir uma civilização, por volta de 3000 a.C., em torno da crescente fértil dos rios Tigre e Eufrates. Esse povo notabilizou-se por ter aperfeiçoado as técnicas de irrigação dos rios que alimentavam as suas plantações e as áreas urbanas com concentração populacional. A economia suméria, portanto, estava eminentemente associada à administração dos recursos hídricos.

O sistema de irrigação favoreceu a agricultura e a criação de animais, e o trabalho no campo era predominantemente coletivo. Os animais que compunham a criação eram porcos, ovelhas, cabras e gado, sendo que esse último também era utilizado para tração e transporte. Além da atividade econômica do campo, havia também as atividades típicas das cidades, como o artesanato e a manufatura.

Além disso, com o desenvolvimento da escrita cuneiforme (sistema de cunhagem de caracteres simbólicos em placas de argila), os sumérios conseguiram controlar e registrar de forma melhor o fluxo de excedentes que era produzido nas cidades. Assim, havia alguém encarregado especificamente de administrar esse fluxo econômico, o escriba, que era quem dominava a escrita cuneiforme.